10 de mar de 2009

Nascimento


NASCIMENTO

Não sei bem o que acontece,
nasce assim como uma prece.
Brota na alma, cresce no coração,
aflora no papel, seu chão.

Desabrocha, floresce,
gera fruto
que traz nova semente,
recolho e planto
no terreno fértil do peito
seu leito.

Enquanto não o liberto,
fico inquieta, não sossego
o poema é como um filho,
[isso é quase um estribilho]
vem de mim
mas não é meu meu,
parti sim,
tem um mundo seu.

Drica de Assis
14/10/2008

Um comentário:

  1. Muito bom o poema!
    Mas...qual o seu e-mail?
    o meu é: assis_eubrasil@hotmail.com
    Abraços.

    ResponderExcluir